quarta-feira, 13 de abril de 2016

2.º Teste de Sociologia Geral - II - O Fim da História

0 comments
2.º Teste de Avaliação Contínua de Sociologia Geral - II
ISCSP – Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da antiga Universidade Técnica de Lisboa (UTL) em 2011.
Para o 1.º Ano dos cursos AP – Administração Pública, SOC – Sociologia e de SS – Serviço Social. (Licenciatura - Regime Pós-Laboral)
Duração: 1h00’

Nome: ________________________

Curso: Serviço Social – Pós Laboral (2010/11)


1 – Distinga setor primário e secundário da informação. Exemplifique.

O setor primário, dedica-se à criação, processamento e distribuição da informação, bem como as entidades que produzem bens destinados apenas à informação.
O setor secundário, endende-se como o que se dedica à criação, processamento e distribuição de informação no âmbito de processos produtivos com outro fim que não apenas a informação.

2 – Distinga “Fim da História” de fim do mundo.

Por “Fim da História” entende-se a teoria filosófica do culminar dos processos evolutivos, que se encontram no pensamento de Platão, na dialética de Hegel, no materialismo histórico de Karl Marx, no positivismo de Auguste Comte e mais recentemente no pensamento de Francis Fukuyima, que entenderam que num dado patamar histórico da civilização, ter-se ia chagado a um nível que não mais se produziriam revoluções sociais e mudanças históricas.
Por fim do mundo, temos a teoria física da extinsão da vida na Terra, causada pela morte do Sol como estrela embora, o fim do mundo é também um conceito presente nas filosofias de cariz religioso, e que determinam o fim de uma era e o inicio de um Porvir Eterno.

3 – Indique o que carateriza o “Fim da História” para Hegel e Fukuyama e em que circunstâncias históricas julgam os autores que esse momento ocorreu.

Hegel: - Modelo e Momento

Pela Dialética de Hegel, que nos mostra que da “tese” de uma ideia ou evolução, nasce a sua “antítese” ou o seu contrário, e no choque destes dois movimentos históricos de avanço e recuos surge a “Síntese”, ou a resposta definitiva a um momento histórico.
Assim de avanços e recuos que se sobrepõem uns aos outros, surge o momento histórico fo fim da História pela Síntese final. Hegel entendeu que a Revolução Francesa teria sido esse momento.

Fukuyama: - Modelo e Momento

Fukuyama, entende que da dialética hegeliana ou do materialismo marxista, nada ocorreu enquanto fim da história, mas antes pela democracia representativa e pelo liberalismo de uma economia de mercado, acompanhados por um complexo sistema de valores, ter-se ia chegado a um patamar civilizacional irreversível.

Para Fukuyama, esse momento teve o seu culminar com a Queda do Muro de Berlim, em 1989 e o fim do Regime Soviético, que marcam a hegemonia do sistema liberal ou capitalista.

0 comments:

Enviar um comentário

LinkWhithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...